Os 3 primeiros meses morando na praia

A ideia era boa: sair da cidade, do apartamento e ir morar numa casa na praia!!! Isso sim que é vida! Errr… bem, vamos por partes!

Outubro/2017: alugamos a casa em Porto de Galinhas, viajamos para Fernando de Noronha, voltamos e fizemos a mudança.

Muita coisa para organizar na casa nova, problema com a água, trabalho. Mas, eu sempre na expectativa: acordar cedo, meditar, caminhar na praia, fazer yoga, trabalhar…. Realidade: 21 de novembro 2017: VOCÊ ESTÁ GRÁVIDA e os 2 primeiros meses (novembro e dezembro) morando na casa de praia em Porto de Galinhas se resumiram em: FICAR DE REPOUSO! Ohh, God.

Sim, pessoal, foi exatamente isso que aconteceu. Mudei com toda aquela expectativa de vida nova, curtir a natureza, e no fim das contas descobri que estava grávida e meu médico me orientou ficar de repouso. Virou a vida de cabeça para baixo.

Tive que pedir reforços para a minha mãe vir, pois no começo fiquei super indisposta, não conseguia comer direito, tinha sono, mas ainda tinha meus trabalhos para fazer. Foi uma fase super chata, confesso, pois meus dias se resumiam a ficar deitada na cama trabalhando e dormindo. Eu queria ir à praia, queria sair para jantar e encontrar os amigos, mas não tinha disposição para nada. Eu não conhecia nem o bairro que estava morando!

Bem, esse foi o meu lado, o lado chato da história, mas se por um lado eu estava lá estatelada na cama, Everaldo e Lola começaram a aproveitar esse novo estilo de vida. Quando morávamos na cidade, ele saía para trabalhar antes das 6 e chegava por volta das 18h. Morando em Porto ele está mais perto do trabalho e também não pega o trânsito de antes, então consegue acordar no mesmo horário, levar Lola para passear e aí se arrumar para sair. Chega em casa umas 17h30 (quando não pega carona e chega antes) e aí leva Lola de novo para andar e cuida do jardim. Final de semana, ele atravessa a quadra e vai surfar.

Se para ele já foi um ganho de vida danado, para Lola então, nem se fala! Acostumada a uma vida dentro de um apartamento, mal saia de casa (lá a gente não passeava com ela com frequência por conta do perigo, da sujeira da rua e tal). Aqui ela corre pela casa e pelo jardim. Fica na varanda da casa olhando o movimento e já fez vários amigos gatos (sim, ela AMA GATO!). Cava, rola na grama, corre na praia. Outra vida!

E por falar em perigo…. Antes de nos mudar, Raquel (uma amiga que mora aqui em Porto há anos) me falava: vocês vão se acostumar rápido e sim, foi isso mesmo que aconteceu. Assim que nos mudamos, eu tinha o maior medo de deixar a casa aberta, era super desconfiada. Com o tempo o medo foi passando, fomos conhecendo a vizinhança e fui me sentindo segura. Já deixei roupa no varal de um dia para o outro, minhas plantas, vasos, cadeiras e mesas ficam lá fora e ninguém mexe! Nós subimos o muro da casa, mas não temos cerca elétrica e seria a coisa mais fácil do mundo pular, e o portão de traz é baixinho só para evitar de Lola fugir.

Quando completei os 3 meses de gestação, tive uma semana terrível de passar muito muito mal, mas depois passou e eu entrei na melhor fase da gravidez até agora e finalmente fui retomando a minha vida. Comecei a fazer pilates e yoga e a caminhar aqui por perto. Ainda não consegui me organizar para ir à praia como eu quero, mas porque estou trabalhando muito e, confesso, rola uma preguicinha também!

Ah, outra coisa que percebi morando em Porto de Galinhas, se antes as visitas já eram frequentes, agora piorou! rs Não passamos mais de 15 dias sem receber visita em casa. Por um lado a gente gosta, mas também acaba que por isso a gente não consegue curtir outras coisas que queremos, pois estamos com a casa sempre cheia. Como temos o problema com a água, pedimos que as visitas não venham em comboio (tipo, 15 pessoas de uma só vez! Sim, nossas visitas são dessas! rs) e também temos que explicar e pedir que economizem o máximo.

Já recebi perguntas do tipo: “e aí? Está conseguindo aproveitar muito a vida na praia?” Minha resposta é: não! Infelizmente, ainda não, mas tenho certeza que essa fase vai chegar e eu quero muito isso. Nossa intenção ao mudar para Porto era realmente ter o estilo de vida que sonhamos e com calma e mais organização da minha parte em termos de horário, sei que vai ser assim. Agora que estou mais disposta, essa é a tendência. Será que iremos conseguir? Vocês saberão nos próximos capítulos! hehehe

Beijos,

Gab

 

Alugando casa anual em Porto

Bom, como contei nesse primeiro post, em outubro alugamos uma casa em Porto de Galinhas. Foi fácil? Nãooo, então vou contar nossa experiência.

Algumas observações importantes: é mais fácil achar casas legais para alugar por TEMPORADA, já para ANUAL achamos mais difícil. Outra coisa: o período que fomos procurar (pertinho do verão) também dificultou mais.

Bom, a primeira coisa que fizemos: olhamos em sites as opções. Depois pegamos o carro algumas vezes e fomos procurar placas de aluga-se nas regiões que nos interessavam. Mas, no final das contas, acabamos procurando um corretor de Porto para nos ajudar e nos mostrar algumas casas. IMPORTANTE: informem ao corretor se querem uma casa mobiliada ou não! No nosso caso, queríamos mobiliada, pois não queríamos levar nada do nosso apartamento além dos objetos pessoais.

Falamos mais ou menos o que queríamos e o valor que poderíamos pagar. Visitamos várias casas e aí vai outra dica importante: procure saber se a casa fica em uma região que alaga ou se é uma região mais esquisita. Nós vimos casas legais, mas que estavam em alguma das duas situações e aí não alugamos, claro. Tivemos sorte de ter um casal de amigos que moram lá nos orientando sobre as regiões.

Depois de visitar várias casas, achamos uma que apesar de detonada, era o que a gente estava buscando! O processo de aluguel foi relativamente rápido. Nossa mudança foi feita por nós mesmo, pois não trouxemos nada de mobília. Várias viagens, mas trouxemos tudo.

Com relação à aluguel: você encontra valores dos mais acessíveis até os mais absurdos (vai depender do lugar, do tamanho da casa, do que oferece, etc). Para vocês terem noção, nós alugamos por R$1.600,00 mobiliada com IPTU incluso. A casa é bem espaçosa, com 3 quartos e dois banheiros, garagem, MAS, estava beeem descuidada. Conseguimos fechar um acordo com a proprietária de que iríamos arrumando a casa aos poucos e abatendo do valor do aluguel (assim cuidamos do patrimônio dela e vamos deixando a casa mais bonitinha, né?).

Outra coisa que não posso deixar de contar: nosso problema com água! Antes de nos mudar a gente já sabia dessa questão da água, que é comum faltar e às vezes passam dias. Na nossa casa temos duas caixas de água e também um poço. A água do poço Everaldo usa para aguar o jardim e lavar o carro e, em situações de emergência, ele tira a água de lá, coloca na caixa de água e coloca cloro (aí vai das químicas do meu engenheiro! rs). Isso se estivermos sem água da Compesa.

Ahhh, não deixem cortar a sua água! Sério! Até a Compesa vir e religar, é um puta transtorno, então EVITEM! E tem que ficar muito no pé dessa galera.

E, ainda sobre o quesito casa, a internet. Contratamos a Acesso Telecom por indicação de amigos e super recomendo. O plano custa R$89,90 e a internet é boa e rápida e quase não temos problemas. Sem contar que o atendimento foi ótimo e a instalação também.

Galera, se ainda tiverem alguma dúvida sobre essa parte de casa em Porto de Galinhas, me avisem! No próximo capítulo vou contar como foram os 3 primeiros meses morando aqui… eita! hahaha Aguardem!!!

Beijos,

Gab