Elephant Nature Park – centro de reabilitação de elefantes

Nunca foi um sonho conhecer o sudeste da Ásia, confesso, mas assim que decidimos ir e comecei a pesquisar, fui me apaixonando. De cara falei logo que minha prioridade na viagem era fazer o passeio dos elefantes.
Pesquisei vários blogs e tinha amado um que podia andar em cima do elefante, eles tiravam altas fotos profissionais, enfim, parecia o passeio mais especial do mundo, BUT comecei a pesquisar mais sobre o assunto e foi aí que veio o choque da realidade…
Para você andar em cima de um elefante, ele precisa ser treinado e a forma como eles fazem isso é extremamente CRUEL! Os filhotes são separados da mãe, acorrentados, perfurados, enfim, não gosto nem de falar muito porque é algo que me revolta e me entristece de uma forma que não consigo nem expressar para vocês. É tão triste que quando estávamos em Ayutthaya passamos por um lugar que oferece passeios com elefantes e eu os vi nessa situação e comecei a chorar.
Quem quiser ler mais sobre o assunto (imagens fortes):
Bom, daí foi quando descobrimos que em Chiang Mai existe um centro de reabilitação de elefantes, mas também de cachorros, gatos, cavalos, búfalos, etc. Não tive dúvida de que era o passeio ideal e gente, foi MUITO MAIS ESPECIAL DO QUE EU PODERIA IMAGINAR! Todo mundo do grupo concordou e fechamos com o ELEPHANT NATURE PARK. Tudo pela internet, com antecedência, mas muito prático, e-mails respondidos de forma rápida. Custou R$250,00 por pessoa e valeu cada centavo.
Chegamos em Chiang Mai dia 9 de Março e nosso passeio ficou para o dia 10. Nos buscaram e deixaram no hotel, sem atrasos. Durante a ida, eles passam um vídeo mostrando tudo o que contei no começo do post, tudo o que os elefantes passam para serem treinados. Eu nem aguentei ver de novo, mas quem ainda não tinha visto ficou bem para baixo.
Bom, aí depois de 5 meses de espera, o grande momento de ver e estar perto dos elefantes tinha finalmente chegado. Assim que chegamos, fomos avisados para não ultrapassar a linha vermelha e evitar o contato com eles, pois como é um centro de reabilitação, ali tem animais que foram maltratados, machucados, cegos… Deu até um certo receio e medo e pensei que durante todo o passeio seria eles lá e a gente cá. O primeiro contato foi alimentar esses gigantes. Eles de um lado e a gente do outro. Mas foi muito divertido. A elefanta chegou, demos a comida e rimos quando ela quis comer uns pedaços da fruta e outros não.

Bom, logo depois fomos caminhar. Durante todo o percurso o grupo tinha que se manter junto, por segurança. A primeira elefanta que vimos estava em um quiosque e começamos a tirar fotos de longe mesmo. Aí a elefanta foi vindo. Desde o começo pediram que a gente tivesse cuidado, que não chegasse perto, não encostasse. Essa elefanta era cega de um olho, então teríamos que ter mais cuidado ainda porque ela poderia ter alguma reação de estranhamento e acontecer um acidente.
Para a nossa surpresa, ela chegando cada vez mais perto. Quando vi, ela estava passando a tromba nas minhas pernas. Hahaha Foi emocionante e engraçado porque ela passava a tromba como se estivesse procurando alguma coisa para comer.

Depois continuamos a caminhada e fomos para a segunda elefanta. Essa já era mais idosa e podíamos encostar, mas com muito cuidado também. Everaldo se aproximou e ela parecia pedir carinho. Pronto, nos apaixonamos. Ela tinha um olhar que parecia dizer que confiava em nós.
Quando fui tirar foto com ela, eu senti uma emoção tão forte e ao mesmo tempo tristeza em pensar no que ela já devia ter passado. Para ela deixar nos aproximar daquela forma é porque ela já era acostumada com humanos e não deixa de ser triste.
A vontade que dá é de abraçar, fazer carinho, conversar. Quando encostei a cabeça na dela, ela fechou os olhos. Como não amar?
Continuamos o passeio, vimos mais elefantes e outros animais.

O almoço foi todo vegetariano, mas era uma infinidade de opções e a comida deliciosa. Mesmo quem não gosta de comida vegetariana, come bem lá.
Depois do almoço foi a hora do banho! Pudemos dar banho e foi bem divertido, mas muito rápido, tipo, 5 minutos.

O restante do passeio foi mais tranquilo. Pudemos ver os elefantes comendo, demos outra volta pela propriedade e umas 16h voltamos para o carro e voltamos para casa.

Foi sensacional. Um dos dias mais marcantes da minha vida! Recomendo demais fazerem esse passeio. Lembrando, claro, de procurarem centros de reabilitação e NUNCA ANDAR NOS ELEFANTES.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *